Biblioteca Nacional, Ibram e Arquivo Nacional assinam termo de cooperação

Image

José do Nascimento, Galeno Amorim e Jaime Antunes da Silva

Fundação Biblioteca Nacional (FBN/MinC), Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM/MinC) e o Arquivo Nacional, do Ministério da Justiça, assinaram nesta quarta-feira, 21, acordo de cooperação técnica visando à integração de documentos de 10 mil instituições de memória social (bibliotecas, museus e arquivos). A cerimônia de celebração do acordo aconteceu na Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro, com a presença do presidente da FBN, Galeno Amorim; do presidente do IBRAM, José do Nascimento Júnior; e do diretor geral do Arquivo Nacional, Jaime Antunes da Silva.

A assinatura do acordo marca a implantação do Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais (SNIIC), primeiro passo para o cumprimento das 53 metas do Plano Nacional de Cultura, anunciado no dia 13 de dezembro pela ministra Ana de Hollanda.

De acordo com Galeno Amorim, a integração de trabalhos ajudará a aumentar a dimensão pública dos acervos, reunindo em um só lugar dados sobre biblioteconomia, museologia e arquivologia: “O que estamos fazendo vai permitir que as pessoas tenham acesso à nossa memória social”, disse.

José do Nascimento Júnior ressaltou que o acordo vai integrar as ações das três instituições, que já possuem vários projetos de natureza semelhante, mas que agora vão trabalhar de forma mais integrada. “Os esforços que vamos promover potencializam a capacitação técnica de funcionários e a integração de bases de dados”, disse.

ImagePara o diretor do Arquivo Nacional, o País encontra-se em um momento importante em termos de acesso público a documentos. Ele citou como exemplo a Lei de Acesso à Informação, sancionada em novembro pela Presidenta Dilma Rousseff e chamou atenção para a importância de se criarem equipamentos de guarda em âmbito municipal, já que apenas 5% dos municípios possuem instituições do gênero.

José do Nascimento lembrou que apenas 20% dos municípios brasileiros possuem museus, e ressaltou a dimensão da base de dados que será criada pelo SNIIC: “Não há uma rede de instituições culturais maior que esta [10 mil]”.

Entre outras medidas, o acordo prevê o estímulo ao intercâmbio de documentos técnicos entre as instituições, a operação compartilhada de sistemas cadastrais de informação, além do incentivo a ações de valorização, registro e disseminação de conhecimentos específicos de cada área.

O Ministério da Cultura prevê que, dentro de oito anos, todas as bibliotecas públicas do país e 70% dos museus e arquivos disponibilizem informações sobre seus acervos no SNIIC.

Tags:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: