Cartas andradinas nominadas “Memória do Mundo”

Cerimônia MoWbrasil 11.12.2014 - FBN

Nesta quinta-feira dia 11/12, o conjunto de 69 “cartas andradinas” do acervo da Biblioteca Nacional foi reconhecido pelo  Programa Memória do Mundo da Unesco como “documento de valor excepcional e interesse nacional”, sendo assim as cartas foram consideradas “documentos ou conjuntos documentais que tenham valor de patrimônio documental da humanidade”.

SAMSUNG CSC

As “cartas andradinas” compõem um conjunto de cartas enviadas pelos três irmãos Andrada – José Bonifácio, Martim Francisco e Antônio Carlos – ao jornalista e diplomata Antônio de Menezes Vasconcelos de Drummond, entre 1824 e 1833. Encadernadas pelo destinatário num volume único, foram confiadas à guarda do amigo de Drummond, A. J. de Mello Moraes, cujo filho, o memorialista Mello Moraes, acabou por herdá-las e, tempos depois, vendê-las à Biblioteca Nacional.

Recentemente a coleção foi digitalizada e integra a Biblioteca Digital, disponível no site da instituição. Segundo Ana Lúcia Merege, bibliotecária da Divisão de Manuscritos da Biblioteca Nacional “a  correspondência dos Andradas é uma boa fonte de informação para o estudo daquele período, especialmente se tomada em conjunto com as memórias publicadas em 1861 pelo destinatário, Antônio Drummond”.

Ainda segundo Ana Lúcia, “desde a primeira carta, enviada de Bordéus a 1 de setembro de 1924, até as últimas que escreveu da França, podemos acompanhar suas observações sobre os desdobramentos do processo de independência, seu reconhecimento pelas províncias e pelos países estrangeiros, os tratados e conflitos em que se envolveram o Brasil e seu jovem imperador”.

 

carta

A Bibliotecária afirma que  “pode-se concluir que as cartas de José Bonifácio para Antônio Drummond são de extremo interesse para o pesquisador, fornecendo um retrato em cores vivas do que foram seus dias no exílio na França e oferecendo uma rica visão de suas reações a propósito dos acontecimentos políticos no Brasil, dos quais se via afastado contra a vontade. Mais do que em suas “memórias” e outros escritos, o fato de estar se dirigindo a um amigo permite enxergar, nessa correspondência, não apenas a persona política e o estudioso da ciência, mas, sobretudo, o homem que conhecemos como um dos vultos mais proeminentes da história brasileira”.

Consulte a coleção acessando a BNDigital

Conheça os acervos reconhecidos pelo Programa Memória do Mundo

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: