FBN abre exposição sobre exilados de língua alemã entre 1933-1945

A exposição “O exílio de língua alemã no Brasil- 1933 a 1945” foi aberta ao público na noite de ontem, quinta-feira. A exposição retrata a trajetória dos refugiados do nazismo dentro da vida política e cultural brasileira. O trabalho é fruto de uma parceria com a Biblioteca Nacional da Alemanha, a Deutsche National Bibliothek (DNB), que teve origem na Feira do Livro de Frankfurt em 2013, ocasião em que foi apresentada na própria sede da DNB. A mostra também faz parte do calendário oficial das comemorações dos 190 anos da imigração alemã no Brasil.

SAMSUNG CSC

As mesas contam com textos em português e alemão

De outubro de 2013 até hoje, a exposição já foi montada no Museu dos Direitos Humanos de Porto Alegre e no Centro de Cultura Judaica de São Paulo, realizada graças à colaboração do Instituto Goethe do Brasil. A Biblioteca Nacional viabilizou a vinda de material da Alemanha e o Instituto permitiu a montagem da mostra em Porto Alegre e São Paulo.

É notável a diferença entre os processos de migração e o exílio no contexto exemplificado pela mostra. Migra-se em busca de uma vida promissora. Já o exílio é a fuga de uma condição social ou política que põe em risco a vida do indivíduo, sendo eminentemente geopolítico e indicando expulsão espacial. Durante o período de 1933 a 1945, entre 16 mil e 19 mil falantes de língua alemã, na maioria judeus, encontravam-se exilados no Brasil, tratando-se do maior fluxo de “desterrados” recebidos pelo país em toda sua história.

SAMSUNG CSC

A Casa Stefan Zweig criou uma ferramenta interativa chamada “canto dos exilados”, equipamento que contém aproximadamente cem biografias de importantes personagens exilados no Brasil

Durante a abertura da exposição, o presidente da Biblioteca Nacional, Renato Lessa, em seu discurso, pontua que“os imperativos da descendência são postos como passagem para a superação das agonias e incertezas vividas pela ascendência- é bem esse o segredo das comunidades exiladas, a superação das distopias da ascendência”. O presidente acrescenta ainda como as primeiras gerações de exilados são portadoras da experiência drástica e original do desvínculo.

SAMSUNG CSC

O presidente da FBN, Renato Lessa, abre a exposição 

O impacto do exílio na cultura brasileira, como parte da dinâmica dos fluxos culturais, foi estruturante. Acabou sendo privilégio para o Brasil ter recebido o contingente de exilados, que contribuíram para a produção intelectual do país. O Brasil se tornou, depois da Argentina, o segundo maior país da América Latina a abrigar exilados de língua alemã. Nesse período, a Biblioteca Nacional passa a ser referência para muitos refugiados estabelecidos no Rio de Janeiro, onde podiam realizar leituras e pesquisas, influenciando assim a arte, fotografia, música, literatura, teatro e o jornalismo brasileiro.

SAMSUNG CSC

Periódico de época estampa a ascensão do nazismo no continente europeu

 

Por meio de documentos, objetos e obras artísticas, além de entrevistas e testemunhos da época, nomes como Zweig, Axl Von Leskoschek, Erich Koch-Weser, Ernst Feder, Hugo Simon, Johannes Schauff, Karl Lieblich e Karl Lustig-Prean, contribuem com seus registros para o fomento da mostra. A exposição conta com recursos multimídia exibindo entrevistas e depoimentos de exilados e familiares.

SAMSUNG CSC

O público tem  contato com itens que retratam a vida dos exilados 

A exposição “O exílio de língua alemã no Brasil- 1933 a 1945” ficará em cartaz até fevereiro de 2015.

Horário de funcionamento: de segunda à sexta de 10h às 18h. Sábado das 9h30 às 14h30.

Local: Av. Rio Branco, nº 219, 3º andar- Centro.

linguaalema

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: