Artistas residentes do Lab Clube visitam a Biblioteca Nacional

SAMSUNG CSC

No último dia 20, em visita a Divisão de Iconografia da Fundação Biblioteca Nacional onde foram recebidos pelos pesquisadores Joaquim Marçal Ferreira de Andrade, Francisca Helena Araújo  e Luciana Muniz, os artistas residentes do projeto “Processos Fotográficos – Ensaios para uma poética experimental”  desenvolvido pelo Lab Clube, núcleo de fotografia experimental do “Coletivo Filé de Peixe”, tiveram contato com uma seleção de trabalhos e publicações especialmente separadas. O roteiro de apresentação dos trabalhos e documentos cuidadosamente elaborado, fez o grupo” se encher de emoção”.

O projeto de residência, comandado por Fernanda Antoun, artista e coordenadora do Lab Clube, foi contemplado no 2º edital Funarte – “Mulheres nas Artes Visuais” e selecionou um artista de cada região do país para passar quatro semanas na cidade do Rio de Janeiro, na sede do Lab Clube.

Batizado de “Processos Fotográficos – Ensaios para uma poética experimental” o projeto foi idealizado na intenção de verticalizar a articulação das possibilidades criativas dos processos fotográficos experimentais com as questões que permeiam a atualidade do pensamento contemporâneo.

Segundo Fernanda Antoun, o projeto funciona como uma estratégia de interseção aguda da prática de métodos fotográficos com a produção contemporânea hoje.

“Trata-se de buscar um cruzamento efetivo entre esses processos e as inquietações e investigações poéticas manifestadas por um conjunto variado de artistas, substituindo a interrogação sobre a relevância no emprego desses métodos fotográficos no atual estágio da arte contemporânea pela preposição real de contato e apreensão desses recursos, a partir de oficinas e práticas, interlocução crítica e proposta de desenvolvimento de trabalhos que resultem em uma publicação significativa, capaz de apontar invenções, caminhos novos, surpresas e descobertas que estimulem o enriquecimento do repertório artístico contemporâneo”, afirma a coordenadora.

Nas duas primeira semanas os artista residentes receberam um curso de formação em processos fotográficos experimentais e históricos como Cianotipia, Marrom Van Dyke, Papel Salgado e Goma Bicromatada, além de experimentarem as diversas possibilidades de interseção entre estes métodos.

Nas duas últimas semana do período de residência, os artistas iniciaram a produção de trabalhos inéditos, buscando uma interseção entre o conjunto de questões poeticamente já exploradas por eles, com os novos recursos e ferramentas apreendidos aqui no Lab Clube!

Além do curso de formação, das práticas no ateliê e no laboratório, do acompanhamento crítico e teórico, e de disporem de todos os materiais e recursos para o desenvolvimento de trabalhos inéditos, os artistas residentes também seguem uma agenda de atividades externas, incluindo visitas a centros culturais, galerias e museus.

Para Fernanda, “cada ambrótipo, daguerreótipo e ferrótipo apresentados como jóias, a cada toque nos originais de Marc Ferrez e Nadar, poder manipular as mesmas imagens que o Imperador D. Pedro II manipulou pessoalmente na Biblioteca Nacional, foi uma experiência única”.

Conheça um pouco mais sobre o projeto acessando:

www.labclube.com
www.coletivofiledepeixe.com
www.facebook.com/coletivofiledepeixe
www.youtube.com/coletivofiledepeixe

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: