FBN I Rio 450 anos – Bairros do Rio – Lapa

Foto- Álbum da cidade do Rio de Janeiro -comemorativo do bicentenário da independência - Acervo FBN

Foto- Álbum da cidade do Rio de Janeiro -comemorativo do bicentenário da independência – Acervo FBN

Conhecido como “berço” da boemia carioca, o bairro da Lapa, na Zona Central do município do Rio de Janeiro, composto por treze ruas e que tem sua economia voltada para um grande número de bares, restaurantes e boates, foi assim descrito por Brasil Gerson em seu livro “História das ruas do Rio de Janeiro” de 1954:

“Bairro que se tornou famoso na história da cidade pela sua vida noturna dissoluta, bairro de cabarés baratos, de casas de baixo meretrício, de malandros, de jogadores, valentões e invertidos, e do trottoir de  pobres mulheres ditas perdidas, como consta de muitas crônicas e livros… a Lapa teve, no entanto, as mais puras nobres origens, nascendo e crescendo que foi em tôrno de um seminário construído em louvor de Nossa Senhora e de uma capela do Divino Espírito Santo…

Foto- Álbum da cidade do Rio de Janeiro -comemorativo do bicentenário da independência - Acervo FBN

Foto- Álbum da cidade do Rio de Janeiro -comemorativo do bicentenário da independência – Acervo FBN

Nos meados do setecentismo ela era uma praia…

Entre ela e o morro das Mangueiras, dentro ou ao lado da chácara do capitão Antônio Pereira, adquirida mais tarde pelo governador Gomes Freire e por êste doada às freiras de Santa Teresa, nada mais havia senão um pequeno campo despovoado – e nêle foi que em 1751 o padre Ângelo Siqueira Ribeiro do Prado principiou a levantar seu seminário-e-capela em louvor de N.S. da Lapa…

Foto- Álbum da cidade do Rio de Janeiro -comemorativo do bicentenário da independência - Acervo FBN

Foto- Álbum da cidade do Rio de Janeiro -comemorativo do bicentenário da independência – Acervo FBN

Falecido, porém, o padre Angele Siqueira, seu seminário não prosperou, e com a capela foi cedido em 1810 aos frades carmelitas, desde 1808 alojados provisoriamente no convento que fôra dos barbadinhos na Rua Evaristo da Veiga (hoje quartel do 4º batalhão da Polícia Militar), depois que no construído por êles diante do Paço em 1590 se instalou a rainha D. Maria I, a Louca…

Foto- Álbum da cidade do Rio de Janeiro -comemorativo do bicentenário da independência - Acervo FBN

Foto- Álbum da cidade do Rio de Janeiro -comemorativo do bicentenário da independência – Acervo FBN

O beco dos Carmelitas, ao lado da capela do Divino, abriram-no êles mesmos, por volta de 1820.  A Rua Teixeira de Freitas, em homenagem ao grande jurista, era o beco do Campo dos Frades.  Nela está o Banco de Sangue, no edifício da antiga casa de banhos Termas Cariocas.  Já sob D. João VI o largo se chamava da Lapa.  Acabava de ser aterrado e nivelado.  Através dêle os cariocas do centro e da zona sul atingiam o caminho de Mata-Cavalos (ou Rua do Riachuelo), que era o melhor para o norte antes do atêrro dos mangais de S. Diogo…

No seu encontro com a da Glória, e dando para o mar, ficava o hotel Guanabara, onde às vêzes se hospedava Raul Soares e práticamente nasceu a candidatura Epitácio à presidência da República, dias após a morte de Rodrigues Alves…”

Foto- Álbum da cidade do Rio de Janeiro -comemorativo do bicentenário da independência - Acervo FBN

Foto- Álbum da cidade do Rio de Janeiro -comemorativo do bicentenário da independência – Acervo FBN

Siga a FBN nas redes sociais:

#FBNnamidia

#fundacaobibliotecanacional

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: