Perfil – Davidson de Oliveira Diniz e as fontes primárias para uma História Comparada das relações literárias Argentina/Brasil

Bolsista do Programa Nacional de Apoio a Pesquisadores Residentes da Biblioteca Nacional (PNAP-R), Davidson de Oliveira Diniz acredita que a recuperação e análise das fontes primárias acerca das transações literárias entre a Argentina e o Brasil permitem interpelar criticamente a ideologia por trás do conceito de Literatura Comparada que emerge, na Europa do século XIX, da expressão conceitual goethena ‘Literatura Universal’ (Weltliteratur).

Sua pesquisa inclui, sobretudo, a primeira geração de escritores do romantismo argentino em trânsito, exílio ou residência diplomática no Brasil (Sarmiento, Mármol e García Mérou), mas considera também a geração posterior (José Veríssimo, Mario de Andrade etc.) e os trabalhos da década de 1930, cujos nomes centrais serão Lídia Bessouchet e Newton Freitas, Benjamin de Garay e Ricardo Levene.

“O ideal de universalismo no século XIX exigiu uma atualização das outras literaturas em processo de formação à margem do cânone europeu. Com isso, não raro as literaturas nacionais na América Latina foram reduzidas ao binômio fonte/influência e consideradas resultado da relação de força/debilidade acerca da tradição europeia, que tanto deveria ser assimilada como subvertida em busca da independência linguística e poética”, explica Diniz.

O pesquisador destaca que uma série de escritores e ações literárias – no caso particular das relações Argentina/Brasil – ensaia uma perspectiva não usual de comparatismo, de espessura interamericana, como alternativa ao modelo europeu, sem obrigatoriedade de justificar, na tradição europeia, as formações discursivas argentinas e brasileiras.

“Decorre daí o que, ao fim, a pesquisa vislumbra: as primeiras linhas argumentativas responsáveis por uma iniciante formação discursiva, capaz de fazer emergir a constituição de comparatismo literário interamericano, bem como de um plano de composição transnacional para nossas literaturas”, aponta o pesquisador.

Davidson de Oliveira Diniz é doutor em Teoria da Literatura e Literatura Comparada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), realizou estágio de doutoramento sanduiche na Universidade de Buenos Aires (UBA) e é professor substituto de literaturas hispano-americanas na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Anúncios

Uma resposta to “Perfil – Davidson de Oliveira Diniz e as fontes primárias para uma História Comparada das relações literárias Argentina/Brasil”

  1. Lanchinho da Meia-Noite Says:

    Republicou isso em Lanchinho da Meia-Noite.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: