FBN I Série Jogos Olímpicos Rio 2016 – Hipismo

 

Os cavalos ganharam posição de destaque na prática de esportes nas Olimpíadas da Grécia Antiga, partir dos jogos de 648 a.C.., com o surgimento das famosas corridas de bigas, impulsionadas por quatro cavalos.

Somente no do século XIX, a arte de saltar com cavalos surge como uma modalidade, inspirada no hábito de saltar durante as caçadas. Em 1868, a Real Sociedade de Dublin em Bell´s Bridge promoveu uma prova de salto em altura e outra de salto em distância, com o objetivo de testar a capacidade dos cavalos de caça.

Alguns anos depois, em 1881, a mesma Real Sociedade de Dublin, cria competições que se assemelhavam muito aos molde atuais.  As competições eram realizadas em uma pista onde os conjuntos (cavalo e cavaleiro) tinham como meta superar quatro obstáculos, dois fixos, um como uma parede de pedra e o outro era uma espécie de tanque cheio de água.

Os métodos e técnicas utilizados atualmente foram criados no início do século XX pelo italiano Federico Caprilli, cuja teoria, era baseada na afirmação de que o cavalo corre melhor quanto tem liberdade de movimentos e se conseguir estender o pescoço. A técnica apresentada por Caprilli tinha como objetivo a redução dos impactos na hora do puxar as rédeas, ela permitia que o cavaleiro saltasse sentado, sem precisar inclinar o corpo para trás. A técnica foi batizada de “assento adiantado” e, por conta dela, Caprilli foi considerado o “pai da equitação moderna”.

O hipismo como esporte olímpico, foi disputado pela primeira vez nos Jogos de 1900 em Paris e só retornou às Olimpíadas em 1912 (Estocolmo), sendo considerado a partir daí como prova permanente.

O hipismo é a única modalidade olímpica com provas mistas, onde homens e mulheres competem juntos na disputa por medalhas em condições de igualdade. (Fonte: http://www.brasil2016.gov.br/)

Nos jogos olímpicos, as provas de hipismo se dividem em três modalidades:

Hipismo salto;

Hipismo adestramento;

CCE (concurso completo de equitação).

Além dos livros pertencentes ao acervo de Obras Gerais da Biblioteca Nacional e das matérias sobre hipismo publicadas nos periódicos que constam da base de dados da Hemeroteca Digital ( inserir o link da Hemeroteca), no acervo da Divisão de Iconografia da BN pode ser encontrado um álbum, doado pela família Antônio Antunes em 2005, uma coletânea de cartões em tecido bordado elaborados a partir da técnica chamada Stevengraphs, criada e patenteada por Thomas Stevens (1828-1888), no século XIX.

Stevengraphs são reproduções de cenas bordadas em tecidos de seda, que durante o século XIX eram itens colecionáveis bastante populares.  Em meados do século XIX, em Coventry, na Inglaterra, que era sede de uma indústria de fita de tecelagem, Thomas Stevens, um tecelão local, utilizando-se de teares usados, teve as ideia de tecer imagens coloridas em tecido e com linha de seda. Sua produção e técnica tornaram-se populares a partir da confecção de marcadores de livros e cartões colecionáveis.  Os Stevengraphs normalmente mediam 140 milímetros x 64 milímetros e foram muitas vezes montado sobre papelão.

Além do álbum, a Divisão de Iconografia disponibiliza, nessa homenagem, uma gravura, do livro “Galeria de Brasileiros Illustres”, de S. A. Sisson, publicado em 1859, que retrata as princesas Leopoldina Thereza e Isabel Christina, filhas de D. Pedro II, em um momento de lazer, cavalgando com suas roupas elegantes.

 

SAMSUNG CSC

Pesquise sobre os jogos olímpicos nos periódicos da Hemeroteca Digital:http://bndigital.bn.br/hemeroteca-digital/

‪#‎FBNnamidia‬
‪#‎bibliotecanacional‬
‪#‎fundacaobibliotecanacional‬

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: