FBN | Documentos Literários: Licença para imprimir livros da doutrina cristã em guarani

A Série Documentos Literários, contribuição da Divisão de Manuscritos, apresenta um documento da Coleção de Angelis, uma das mais relevantes da Biblioteca Nacional no que se refere à história da América do Sul.

pedro de angelis 2

A coleção foi reunida pelo bibliófilo italiano Pedro De Angelis (Nápoles, 1784 – Buenos Aires, 1849), que lutou nas guerras napoleônicas, foi professor e diplomata antes de viajar para a Argentina a convite de Bernardino Rivadavia, ministro plenipotenciário das Províncias Unidas do Rio da Prata, que desejava fazer de Buenos Aires uma cidade culta e cosmopolita. Ao chegar à Argentina, em 1827, De Angelis se naturalizou, assumiu a Imprensa do Estado ao lado de José Joaquín Mora e fundou o jornal “Crônica Política e Literária de Buenos Aires”. Este foi fechado com a queda de Rivadavia, porém De Angelis logo se viu à frente de outro periódico, “El Lucero”, onde publicava informações práticas, críticas literárias e crônicas da campanha de Juan Manuel Rosas. Ao mesmo tempo, organizava um arquivo de documentos ligados à história, à geografia e aos povos nativos da Argentina, que acabou por se tornar um dos mais importantes repositórios de informação da época. Dirigiu o Arquivo Geral da Nação, escreveu biografias e acabou sendo contratado pelo próprio Rosas para difundir alguns de seus projetos.

Em 1836, De Angelis iniciou sua “Colleción de Obras y Documentos Relativos a la Historia Antigua y Moderna de las Provincias del Rio de la Plata”, que acabou por ter sete volumes e se constitui numa obra-chave para o estudo da Argentina em seu período colonial. A queda de Rosas o levou a deixar o país e vir para o Brasil, onde foi recebido com grande reconhecimento e se tornou membro do IHGB. Em 1855 retornou à Argentina, onde ainda publicou obras importantes sobre a história, a geografia e a economia do país. Pelo conjunto e pioneirismo de sua obra, Pedro De Angelis é considerado o patriarca da historiografia argentina.

A coleção da Biblioteca Nacional, com cerca de 1.200 documentos que abrangem o período de 1537 a 1849, foi adquirida do próprio titular em 1853. O documento reproduzido é um traslado da licença concedida em 1703 pelo vice-rei do Peru, Melchor Portocarrero Lasso de la Vega, para que se imprimissem livros da doutrina cristã em guarani, a serem utilizados nas missões da província de Tucumán, atendendo ao pedido do padre Hernando de Aguilar, procurador geral da Companhia de Jesus. O documento pode ser consultado na BN Digital através do link:

http://objdigital.bn.br/…/div_man…/mss1390555/mss1390555.pdf

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: