FBN | André Rebouças Trata da Propaganda Abolicionista.

A Série Documentos Literários, contribuição da Divisão de Manuscritos, homenageia André Rebouças, um dos maiores nomes do movimento abolicionista no Brasil.
 
Rebouças nasceu em Cachoeira – BA no dia 13 de janeiro de 1838, em meio à revolução popular conhecida como sabinada. Era o mais velho dos sete filhos do advogado autodidata Antônio Pereira Rebouças, que, apesar de todo o preconceito existente na época, tinha prestígio e boa posição social. Em 1846, a família se mudou para o Rio de Janeiro, onde André e seu irmão Antônio estudaram na Escola Politécnica e se tornaram engenheiros militares. Passaram alguns meses na Europa e, ao retornar, passaram a trabalhar para o governo brasileiro, na área de portos e fortificações litorâneas.
Após alguns meses em que serviu como engenheiro na Guerra do Paraguai, André Rebouças voltou para a Corte, onde se dedicou a projetos de modernização do país, contando sempre com a parceria do irmão Antônio. Dirigiu a Companhia de Docas da Alfândega, trabalhou com questões de abastecimento de água e projetou estradas de ferro, entre as quais a Curitiba-Paranaguá, um dos mais arrojados projetos de engenharia mundial em sua época, inaugurada em 1885.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Naquela mesma década, o engenheiro se engajou na causa abolicionista, colaborando com Joaquim Nabuco, Cruz e Sousa e José do Patrocínio. Para ele, o fim da escravidão deveria estar atrelado à reforma agrária, que acabaria com os latifúndios e daria acesso à posse da terra tanto aos ex-escravos quanto aos imigrantes.
Progressista em questões sociais, André Rebouças era, contudo, monarquista, e deixou o Brasil juntamente com a família imperial. Viveu em Lisboa, onde colaborou com jornais londrinos, trabalhou por algum tempo em Angola e, mais tarde, transferiu-se para Funchal, na Ilha da Madeira. Lá viria a se suicidar, atirando-se de um penhasco, a 9 de maio de 1898.
A carta aqui apresentada foi escrita por Rebouças para seu amigo Domingos Jaguaribe. O engenheiro comunica a criação de um fundo destinado à propaganda abolicionista e solicita uma contribuição. Informa ainda que Joaquim Nabuco lhe enviou de Londres a biografia do abolicionista norte-americano Frederick Douglass (1818 – 1895), que seria traduzida e vendida numa edição popular, ao preço de 200 réis, como parte do esforço de espalhar as ideias pró-abolição em todo o Brasil.
O documento integra a Coleção Jaguaribe, que se encontra sob a guarda da Divisão de Manuscritos.

Uma resposta to “FBN | André Rebouças Trata da Propaganda Abolicionista.”

  1. Lanchinho da Meia-Noite Says:

    Republicou isso em Lanchinho da Meia-Noite.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: