Posts Tagged ‘Brasiliana Fotográfica’

Brasiliana Fotográfica | A Gruta da Imprensa

janeiro 16, 2017

andreia-louca

 

A Brasiliana Fotográfica destaca uma imagem da Gruta da Imprensa, localizada na Avenida Niemeyer, no Rio de Janeiro. O registro foi produzido por Augusto Malta, fotógrafo oficial da prefeitura do Rio de Janeiro, e pertence ao Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, uma das instituições parceiras do portal. A Gruta da Imprensa foi inaugurada pelo prefeito Carlos Sampaio, dias antes do início da viagem dos reis da Bélgica ao Brasil, em 1920, e sua denominação foi uma homenagem do prefeito à imprensa carioca.

Continue lendo em: http://brasilianafotografica.bn.br/?p=7199

#bibliotecanacional
#fundacaobibliotecanacional
#FBNnamidia

Anúncios

Brasiliana Fotográfica | O brilhante cronista visual Marc Ferrez ( RJ, 07/12/1843 – RJ, 12/01/1923)

dezembro 7, 2016

brasiliana

 

Marc Ferrez (1843 – 1923) foi um cronista visual das paisagens e dos costumes cariocas da segunda metade do século XIX e do início do século XX, tendo sua vasta obra iconográfica comparada a dos maiores nomes da fotografia no mundo. Estabeleceu-se como fotógrafo com a firma Marc Ferrez & Cia, em 1867, na rua São José, nº 96, e logo se tornou um célebre profissional da área no Rio de Janeiro. Cerca de metade da produção fotográfica de Ferrez foi realizada na cidade e em seus arredores, onde registrou, além do patrimônio construído, a exuberância das paisagens naturais.

Continue lendo em: http://brasilianafotografica.bn.br/?p=6305

#bibliotecanacional
#fundacaobibliotecanacional
#fbnnamidia

Brasiliana Fotográfica | A beleza das baianas na fotografia do século XIX no Brasil

novembro 25, 2016

brasi

 

A Brasiliana Fotográfica homenageia a beleza das baianas na fotografia do século XIX no Brasil na data da comemoração do Dia Nacional da Baiana de Acarajé, publicando imagens produzidas por Alberto Henschel (1827 – 1882) e por Marc Ferrez (1843 – 1923). Estas fotografias da segunda metade do século XIX, período ainda de vigência do trágico regime de escravidão que marcou e moldou a história de nosso país, nos colocam face a face com mulheres que vivenciaram diretamente a sociedade daquele momento em todas as suas contradições, algumas libertas, outras ainda na condição de escravizadas, todas, entretanto, integrantes da construção deste legado de cultura e de resistência.

Continue lendo em: http://brasilianafotografica.bn.br/?p=7057

#bibliotecanacional
#fundacaobibliotecanacional
#fbnnamidia

Brasiliana Fotográfica | O Palácio Monroe

novembro 9, 2016
Marinho, P.; A. Editora. Exposição Universal de S. Luiz : o pavilhão do Brasil, 1904?. Missouri, Estados Unidos / Acervo FBN

Marinho, P.; A. Editora. Exposição Universal de S. Luiz : o pavilhão do Brasil, 1904?. Missouri, Estados Unidos / Acervo FBN

O Palácio Monroe, projetado por Francisco Marcelino de Souza Aguiar, foi a sede do pavilhão do Brasil na Exposição Universal de Saint Louis, também conhecida como Feira Mundial de Saint Louis, realizada entre 30 de abril e 1º de dezembro de 1904, em conjunto com os III Jogos Olímpicos da Era Moderna.

Como sua estrutura era toda metálica, o prédio pôde ser desmontado e remontado no fim da rua do Passeio, na avenida Central, atual Rio Branco, ponto mais nobre do Rio de Janeiro na época. Originalmente, o prédio ia se chamar Palácio São Luiz, porém, em 1906, durante o III Congresso Pan-americano, o ministro das Relações Exteriores, o barão do Rio Branco, batizou o edifício de Palácio Monroe, uma homenagem ao presidente norte americano James Monroe, idealizador do Pan-americanismo.

O Palácio Monroe tornou-se um ícone do Rio de Janeiro e sua imagem foi estampada em porcelanas, pratos, talheres, caixas de jóias, tinteiros, cartões-postais e em papéis de carta. Durante sua história, a construção foi sede do Senado Federal, a partir de 1925, quartel general das tropas gaúchas, na Revolução de 30 e, em 1945, abrigou o Tribunal Superior Eleitoral. Com a transferência da capital federal do Rio para Brasília, em 1960, o Senado, que havia retornado ao Monroe em 1946, seguiu para a nova capital. Em 1961, o Palácio passou a sediar o Estado Maior das Forças Armadas.

O prédio foi demolido em 1976.

Para saber saber e acessar a galeria de fotos, visite: http://brasilianafotografica.bn.br/?p=6248

‪#‎FBNnamidia‬
‪#‎bibliotecanacional‬
‪#‎fundacaobibliotecanacional‬

Brasiliana Fotográfica | Para uma história da Fotografia Médica, no Brasil

outubro 24, 2016

icon3856017_capa

Como seria a nossa vida, hoje, sem os diagnósticos médicos por imagem?

Continue lendo em: http://brasilianafotografica.bn.br/?p=6720

#FBNnamidia
#bibliotecanacional
#fundacaobibliotecanacional

 

Brasiliana Fotográfica – O retratista Joaquim Insley Pacheco (c. 1830 – 14 de outubro de 1912)

outubro 14, 2016
Joaquim Insley Pacheco. Pedro II, imperador do Brasil: retrato, 1883 / Acervo FBN

Joaquim Insley Pacheco. Pedro II, imperador do Brasil: retrato, 1883 / Acervo FBN

 

Um dos mais prestigiados e famosos retratistas do Brasil no século XIX, o fotógrafo e pintor português Joaquim José Pacheco, posteriormente Joaquim Insley Pacheco, nasceu em Cabeceiras de Bastos, em 1830. Era muito requisitado pela corte imperial brasileira e, além de ter sido muito procurado para a execução de retratos, era reconhecido por seu trabalho com fotopintura.

 

Continue lendo em: http://brasilianafotografica.bn.br/?p=6048

#FBNnamidia‬
#bibliotecanacional‬
‪#fundacaobibliotecanacional‬

Brasiliana Fotográfica – O Palácio Real de São Cristóvão

outubro 3, 2016
 007a5p3fg5-17-jpg
Por meio de imagens de fotógrafos como Augusto Malta, Georges Leuzinger e Revert Henrique Klumb, a Brasiliana Fotográfica resgata a memória do Palácio Real, ou Paço Real, localizado no bairro de São Cristóvão, no Rio de Janeiro. Propriedade do traficante de escravos Elias Antônio Lopes, que possuía a área da Quinta da Boa Vista, a construção foi doada ao então príncipe regente, dom João, quando ele chegou ao Brasil, em 1808.
#FBNnamidia
#bibliotecanacional
#fundacaobibliotecanacional

Brasiliana Fotográfica – A viagem dos reis da Bélgica ao Brasil sob as lentes de Guilherme Santos

setembro 26, 2016
Guilherme Santos. Chegada dos reis da Bélgica – Carro a Dumond vendo-se o rei Alberto I e o presidente Epitácio Pessoa, 1920. Rio de Janeiro, RJ / Acervo IMS

Guilherme Santos. Chegada dos reis da Bélgica – Carro a Dumond vendo-se o rei Alberto I e o presidente Epitácio Pessoa, 1920. Rio de Janeiro, RJ / Acervo IMS

No segundo post da série, o portal Brasiliana Fotográfica conta um pouco mais da visita do rei Alberto I da Bélgica ao Brasil, entre 19 de setembro e 15 de outubro de 1920. Foi a primeira visita realizada por um monarca europeu e sua esposa à América do Sul. O filho do casal, príncipe Leopoldo, futuro rei Leopoldo III, juntou-se a eles no princípio de outubro.

As fotografias do acontecimento foram produzidas pelo fotógrafo amador Guilherme Santos (1871 – 1966) e complementam as publicadas no primeiro post sobre o assunto, “Viagens do encouraçado São Paulo conduzindo os reis belgas em visita oficial ao Brasil“, publicado no último dia 19 onde foram destacadas as imagens da Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha.

O convite formal para a visita dos reis da Bélgica foi feito por Epitácio Pessoa, então delegado do Brasil na Conferência de Versalhes, em 1919 e foi precedida por vários preparativos como a reforma do Palácio da Guanabara (O Paiz, 27 de abril de 1920), o restabelecimento da Ordem do Cruzeiro – criada por Dom Pedro I, em 1822, e a criação de um protocolo para recebê-los. Vários eventos foram programados para recepcionar os reis, desde festas públicas a jantares protocolares e visitas a instituições como ao Jardim Botânico e ao Instituto Oswaldo Cruz. Os soberanos também foram a São Paulo e a Minas Gerais.

Leia mais e acesse a galeria de fotos: http://brasilianafotografica.bn.br/?p=5950

#FBNnamidia
#bibliotecanacional
#fundacaobibliotecanacional

Brasiliana Fotográfica | Viagens do Encouraçado São Paulo conduzindo os reis belgas em visita oficial ao Brasil, em 1920

setembro 19, 2016
Anônimo. O Encouraçado São Paulo fundeado ao largo da Praça Mauá, 1920. Rio de Janeiro, RJ / Acervo DPHDM

Anônimo. O Encouraçado São Paulo fundeado ao largo da Praça Mauá, 1920. Rio de Janeiro, RJ / Acervo DPHDM

 

Antes da difusão do avião, o principal meio de contato entre povos separados por grandes distâncias eram os navios, que dominavam o transporte de passageiros, como ainda hoje prevalecem no transporte de carga. Neste contexto, era comum que chefes de Estado e outros dignitários fossem conduzidos em viagens transoceânicas por embarcações de guerra, como uma forma de demonstrar o poderio daquela nação, mesmo para países com os quais mantinham boas relações.

Para continuar lendo, acesse: http://brasilianafotografica.bn.br/?p=6123

#FBNnamidia
#bibliotecanacional
#fundacaobibliotecanacional

Brasiliana Fotográfica | Avenida Central, atual Rio Branco

setembro 7, 2016

 

Phototypia A. Ribeiro; Maison Chic. Avenida Central, 1912?. Rio de Janeiro, RJ / Acervo FBN

Phototypia A. Ribeiro; Maison Chic. Avenida Central, 1912?. Rio de Janeiro, RJ / Acervo FBN

A Brasiliana Fotográfica fez uma seleção de imagens da avenida Central, atual avenida Rio Branco, produzidas por fotógrafos ainda não identificados, além de profissionais como Aristógiton Malta (1904-1954), João Martins Torres e pela Phototypia A. Ribeiro. Foram produzidos no início do século XX, quando surgia o Rio de Janeiro da Belle Époque. A abertura da avenida foi uma das principais marcas da reforma urbana realizada por Francisco Pereira Passos (1836 – 1913), entre 1902 e 1906, período em que foi prefeito do Rio de Janeiro.

Para continuar lendo, acesse: http://brasilianafotografica.bn.br/?p=5880

#FBNnamidia
#bibliotecanacional
#fundacaobibliotecanacional