Posts Tagged ‘digitalizaçaõ’

Registros históricos de São Paulo no acervo da Biblioteca Nacional

janeiro 25, 2012

Em homenagem ao aniversário da cidade de São Paulo, que completa 458 anos nesta quarta-feira, 25 de janeiro, selecionamos aqui no blog alguns registros históricos da maior cidade do país. As imagens abaixo pertencem à Biblioteca Nacional e integram nossa coleção digital. Confira!

Dezenho por idea da cidade de São Paulo. Este mapa confecionado em nanquim, sem autor identificado, registra São Paulo no século 18. Não é uma graça?

Como falar de Sampa e não falar do Tietê? O mapa abaixo é um manuscrito confeccionado também no século 18 (sem data precisa), e tem um nome extenso: Plano do R.º Tietê resumido com todas as suas voltas : de onde se vê onde ficam as caxoeiras e a distancia q. a por linha reta desde o porto da Araritaguaba té o rio Grande Paraná como temoria na linha de A : B p.ª cuja medição servirá petipé. Ufa! Para ver de pertinho, é só clicar na imagem.


Imigrantes? A foto abaixo [19-?] tem as dimensões de um cartão postal. Intitulada Embarque de Immigrantes, registra um dos traços mais fortes da história de São Paulo: a imigração. Publicador: Rosenhain & Meyer.

Machinas para beneficiar o café. O registro fotográfico de Luiz Terragno, já no século 20 (sem data precisa), mostra a poderosa indústria cafeeira paulistana. Dimensões do original: 9 x 13,9cm.

Planta geral da cidade de São Paulo com indicações diversas : organisada pela Comissão geographica e geológica engº. João Pedro Cardoso. “Carandirú”, Liberdade, Consolação, Bexiga, “Hygienopolis”, Palmeiras: o mapa é de 1914, mas a cidade que conhecemos hoje é mais que familiar neste documento elaborado pelo Instituto Geográfico e Geológico do Estado de São Paulo, na época. Dimensões do original: 74 x 104 cm.

São Paulo e suas modas! Em 1835, o pintor Gustave Phillipe Zwinger registrou a sociedade paulistana, na gravura abaixo, Costumes de San Paulo. Boa música e diversão fazem parte da rotina paulistana há muito tempo. 😉

Mais São Paulo? A Biblioteca Nacional Digital reúne uma série de arquivos sobre a cidade. Confira aqui e navegue à vontade.

Anúncios

Se não tem no Google, existe?

dezembro 9, 2011

O pessoal do programa Pé na Rua, da TV Cultura, levou a questão para as ruas e descobriu que muita gente anda confiando demais no acervo “infinito” que existe na internet. O programa indica o site da Biblioteca Nacional, cujo acervo é um dos mais importantes da América Latina e tem boa parte de seu contúdo digitalizado, disponível nos mecanismos de busca, como o Google.

A gente lembra que nem tudo é rastreado pelas ferramentas de busca e, o mais importante, muitas obras que nunca foram digitalizadas encontram-se em arquivos mundo afora, como os nossos, da Biblioteca Nacional do Brasil. São manuscritos milenares, gravuras, obras que contam a história do mundo, mas que ainda não chegaram aos PCs, notebooks e tablets.

A gente concorda que é uma questão de tempo para que os scanners da BN levem cada vez mais títulos para a rede, mas lembra que uma passadinha nas bibliotecas pode render muita descoberta! E tem também o conteúdo protegido por direito autoral, que não pode ser reproduzido nem nos sites de bibliotecas, nem pelo Google!

Não custa lembrar que o bom e velho livro e a boa e velha biblioteca continuam vivos. E muito!