Posts Tagged ‘Donga’

FBN | 5 de abril de 1890: nasce Ernesto Joaquim Maria dos Santos, o Donga

abril 5, 2017

 

Nascido no Rio de Janeiro, em 1890, Donga foi um cantor e compositor brasileiro, conhecido como “pai” do primeiro samba registrado: Pelo Telephone (1916). Aos 14 anos de idade, ouvindo as músicas de Mário Cavaquinho, começou a aprender o instrumento, passando, em seguida, a tocar violão.

O registro da partitura de “Pelo Telephone” junto à Biblioteca Nacional, datado de 27 de novembro de 1916, pôs o artista na história da música popular brasileira. Apesar disso, sempre existiu uma polêmica em torno da autoria da composição, visto que esta surgiu de uma roda de samba onde diversos músicos estavam presentes improvisando versos e melodias.

 

Conheça mais sobre Donga visitando a BNDigital, em: bndigital.bn.gov.br
Visite, também, a exposição virtual  “Ai, ai, ai… Cem Anos o Samba faz!” em: http://bit.ly/2gz7Tu6

#FBN #Samba #BibliotecaNacional #BN #Donga #PeloTelephone #BNDigital

FBN I Música – O Samba completa cem anos

novembro 7, 2016

O samba, ritmo musical criado pelos escravos africanos, símbolo da tradição cultural brasileira, patrimônio imaterial, reconhecido também pela Unesco em 2005 como Patrimônio da Humanidade, comemora, neste ano de 2016, o seu centenário. O ano de 1916 entrou para a história da Música Popular Brasileira graças à iniciativa de Ernesto Joaquim Maria dos Santos, mais conhecido como Donga, autor de “Pelo telephone”, datado de 1916 e considerado o primeiro samba brasileiro.

Em 6 novembro de 1916, Ernesto dos Santos, o Donga, entrega uma petição de registro para o samba carnavalesco “Pelo telephone” no Departamento de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional. A partitura manuscrita para piano, feita por Pixinguinha, estava dedicada a dois foliões, os carnavalescos Peru (Mauro de Almeida) e Morcego (Norberto Amaral).

Em 16 de novembro de 1916, Donga anexou à petição um atestado que afirmava ter sido o samba Pelo telephone executado pela primeira vez em 25 de outubro de 1916, no Cine-Teatro Velho. O registro da obra foi efetuado pela Biblioteca Nacional em 27 de novembro de 1916, com o número 3.295.

O samba Pelo telephone fez grande sucesso no carnaval de 1917, dando origem a inúmeras paródias.

A palavra ‘samba’ procede da expressão africana semba (umbigada), empregada para designar dança de roda, popular em todo o Brasil. Os sambas mais conhecidos são os da Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo. Na Bahia, adquiriu denominações conforme as variações coreográficas. No Rio de Janeiro, inicialmente era a dança de roda entre os habitantes dos morros, daí nasceu o samba urbano carioca, espalhado por todo o território nacional.

Existem várias modalidades de samba.O samba de breque, com ritmo acentuadamente sincopado, caracteriza-se por paradas súbitas, os chamados “breques”, que permitem que o cantor encaixe comentários falados alusivos ao tema. Seu mais conhecido intérprete é o cantor Moreira da Silva, cujo maior sucesso foi “O Rei do gatilho”, de 1962.

Já o samba-canção privilegia a melodia, geralmente romântica e sentimental, como o samba Castigo, de Lupicinio Rodrigues e Alcides Gonçalves.

O samba-enredo deve compreender os resumos poéticos de tema histórico, folclórico, literário, biográfico ou livre que for escolhido para enredo ou assunto da apresentação da escola de samba em seu desfile.

O samba-exaltação apresenta letra de tema patriótico. A ênfase musical recai sobre o arranjo orquestral, sendo Aquarela do Brasil, grande sucesso de Ari Barroso, o exemplo perfeito desse estilo. A música foi gravada pelo cantor Francisco Alves em 1939.

Na Divisão de Música e Arquivo Sonoro da Biblioteca Nacional é possível encontrar livros sobre samba, escolas de samba, assim como partituras de inúmeros sambas conhecidos e de grande sucesso, como os dos compositores Donga, Sinhô, Noel Rosa, Mário Lago, Lupicinio Rodrigues, Wilson Batista, Ari Barroso, Herivelto Martins, Grande Otelo, Adoniran Barbosa, Ismael Silva, Ataulfo Alves e muitos outros.

No arquivo do Acervo de Música e Arquivo Sonoro é possível ouvir:

-Pelo telephone com o Conjunto Regional de Donga e Zé da Zilda em gravação da Odeon datada de 1938;
-Ai! Que saudade de Amélia, de Mario Lago e Ataulfo Alves, em gravação da Odeon de 1941;
-Fita amarela, samba de Noel Rosa, tendo como intérprete Francisco Alves, em gravação da Odeon de 1932.

Conheça a Divisão de Música e Arquivo Sonoro da Biblioteca Nacional:http://www.bn.br/explore/acervos/musica-arquivo-sonoro
‪#‎FBNnamidia‬
‪#‎fundacaobibliotecanacional‬

Manuscrito de Pelo Telephone, de Donga, integra o acervo da Biblioteca Nacional.

Manuscrito de Pelo Telephone, de Donga, integra o acervo da Biblioteca Nacional.

Pelo telephone-page-002 Pelo telephone-page-003