Posts Tagged ‘Guimarães Rosa’

FBN | Homenagem – 27 de junho de 1908, nasce Guimarães Rosa

junho 27, 2017
Foto: Acervo FBN

Foto: Acervo FBN

 

João Guimarães Rosa, contista, novelista, romancista e diplomata, nasceu em Cordisburgo (MG) em 27 de junho de 1908. Foi o terceiro ocupante da cadeira nº 2 da Academia Brasileira de Letras.

Formado em Medicina (1930) estreou na vida  literária em 1929 na revista O Cruzeiro,com o conto “O mistério de Highmore Hall”. Em 1936  recebe o Prêmio Academia Brasileira de Letras pela coletânea de versos Magma.

Como diplomata foi cônsul em Hamburgo (1938-42), secretário de embaixada brasileira em Bogotá (1942-44), chefe de gabinete do ministro João Neves da Fontoura (1946), primeiro-secretário e conselheiro de embaixada em Paris (1948-51), secretário da Delegação do Brasil à Conferência da Paz (1948) e representante do Brasil junto a UNESCO.

Além do Prêmio da Academia Brasileira de Letras conferido a “Magma”, Guimarães Rosa recebeu o Prêmio Filipe d’Oliveira pelo livro “Sagarana” (1946), o Prêmio Machado de Assis, do Instituto Nacional do Livro pelo clássico  “Grande sertão: Veredas”. Em 1956 foi agraciado com o Prêmio Carmen Dolores Barbosa, em 1957 pelo  Prêmio Paula Brito. Em 1963 sua obra  “Primeiras estórias” recebeu o Prêmio do PEN Clube do Brasil. (Fonte: ABL)

 

Foto: Acervo FBN

Foto: Acervo FBN

Consulte as obras Guimarães Rosa no acervo da Divisão de Obras Gerais da Biblioteca Nacional:  http://www.bn.br/explore/acervos/obras-gerais

‪#‎FBNnamidia‬
‪#‎bibliotecanacional‬
‪#‎fundacaobibliotecanacional‬

BN exibe acervo sobre os 80 anos da Livraria José Olympio

março 6, 2012

A arte em capa: 80 anos da Livraria José Olympio    

Mostra inaugurada em 2011 fica em cartaz até 16/03

Fruto da iniciativa do editor José Olympio Pereira Filho (1902-1990), a Livraria José Olympio Editora comemorou, em 29 de novembro de 2011, 80 anos de fundação. Considerada uma das maiores editoras do Brasil, publicou obras de relevância em diversas áreas do conhecimento. Entre os seus autores destacam-se nomes como Sérgio Buarque, Gilberto Freyre, Getúlio Vargas, José Lins do Rego, Guimarães Rosa, Carlos Drummond de Andrade, Jorge Amado, Rachel de Queiroz, entre outros.

Além do reconhecido conteúdo intelectual que “recheava” as páginas de suas obras, a Livraria de J.O. sempre primou pela apresentação cuidadosa e luxuosa de seu “cartão de visitas”: a capa. Para Gilberto Freyre, por melhor que fosse a substância de um livro, seu êxito dependeria em grande parte da aparência exterior, ou seja, da primeira impressão que causaria ao seu futuro leitor.

Diversos artistas deram sua parcela de contribuição à instituição, dentre os quais podemos destacar:

Luís Jardim (1901-1987): além de ilustrar os livros durante décadas, escreveu e publicou obras de relevância pela Livraria, como O Boi Aruá e Proezas do menino Jesus.

Tomás Santa Rosa (1909-1956): o ilustrador emprestou o seu talento à empresa literária, sendo o responsável pela apresentação artística de grandes nomes do modernismo brasileiro, além de adaptar capas de artistas estrangeiros para publicação no Brasil.

Eugênio Hirsch (1923-2001): o artista plástico austríaco empregou sua peculiar arte em livros como Ainda, de Pablo Neruda e O Santo e a porca, de Ariano Suassuna.

Poty Lazzarotto (1924-1998): obras como A Bagaceira, de José Américo de Almeida e Casa Grande e Senzala, de Gilberto Freyre, tiveram o toque deste renomado desenhista.

Ziraldo (1932): o conhecido cartunista foi responsável pela apresentação gráfica de títulos editados pela instituição como É mentira, Terta? e A Curva do Calombo, de Chico Anísio.

Gian Calvi (1938): dentre outros trabalhos, este italiano radicado no Brasil destacou-se na elaboração de capas reeditadas de romances estrangeiros.

Esta mostra se constitui numa seleção de projetos gráficos da José Olympio pertencentes ao acervo da Fundação Biblioteca Nacional. Esperamos com isso apresentar aos visitantes um panorama da produção gráfica da instituição ao longo destes 80 anos.

Arte em Capa – 80 anos da Livraria José Olympio
Segunda a sexta, 10h às 18h
Sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h
3º andar da Biblioteca Nacional
Av. Rio Branco, 219, Centro – RJ
Entrada Franca

Texto:

Frederico Ragazzi
Monique Matias
Marcella Albaine
Divisão de Manuscritos – FBN