Posts Tagged ‘mapas’

FBN | 8 de junho: Dia Mundial dos Oceanos

junho 8, 2017

 

Criado pela Organização das Nações Unidas em 8 de Junho do ano 1992, durante a Cúpula da Terra no Rio de Janeiro, o Dia Mundial dos Oceanos visa oferecer, todo ano, uma oportunidade para cuidar dos oceanos e motivar a mobilização internacional em sua defesa.

“Os oceanos constituem um único grande volume de mares interligados que cobre 71% da superfície da Terra. Os oceanos são a fonte da vida e continuam a exercer um papel essencial na vida de sete bilhões de seres humanos. Muitos milhões de pessoas dependem diretamente dos oceanos para alimentação, viagem e trabalho. Os oceanos regulam o clima e fornecem metade do oxigênio que nós respiramos. Os oceanos são um recurso incomparável, pois eles tornam todo o resto possível. Sua imensa diversidade biológica contribui para a beleza do mundo, e nós devemos aliar nossas forças para preservá-la.” (Fonte: Unesco).

Em homenagem à data, a Fundação Biblioteca Nacional disponibiliza, para consulta e download, o mapa “Carte de la partie de l’ocean vers l’equateru entre les Côtes d’Afrique et Amerique”, que ilustra a parte do Oceano entre os continentes Africano e Americano.

http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_cartografia/cart354223.htm

#FBN #BN #BibliotecaNacional #DiaMundialdosOceanos

FBN | 13 de abril: aniversário de Fortaleza

abril 13, 2017

“Capitania dependente, o Ceará teve a sua formação econômica iniciada no século XVII com a pecuária, para fornecer carne e tração à economia açucareira estabelecida na Zona da Mata. E Fortaleza, fundada em 13 de abril de 1726, ficou à margem.
 
Nessa fase, a cidade primaz era Aracati. Icó, Sobral e Crato também ocupavam o primeiro nível na hierarquia urbana no final do século XVIII.
 
Ao contrário de Aracati, de Icó e de outras vilas setecentistas fundadas nas picadas das boiadas, Fortaleza achava-se longe dos principais sistemas hidrográficos cearenses – as bacias dos rios Jaguaribe e Acaraú – e, portanto, à margem da atividade criatória, ausente dos caminhos por onde a economia fluía no território.
Por todos os setecentos, a vila não despertou grandes interesses do Reino, não tendo desenvolvido qualquer atividade terciária.
 
Mas, em 1799, coincidindo com o declínio da pecuária (a Seca Grande de 1790-1793 liquidou com a atividade), a Capitania tornou-se autônoma, passando a fazer comércio direto com Lisboa, através, preferencialmente, de Fortaleza, que se torna a capital.” (fonte: https://www.fortaleza.ce.gov.br)
 

Em homenagem ao aniversário de Fortaleza, a BNDigital disponibiliza, para consulta e download, 2 mapas da cidade:

 
 
Planta da cidade da Fortaleza:
 
Explore a BNDigital para conhecer mais!
 
bndigital.bn.gov.br
 
#FBN #Fortaleza #BibliotecaNacional #FundaçãoBibliotecaNacional #AniversáriodeFortaleza #AcervoFBN

FBN | 8 de setembro de 1612 – fundação da cidade de São Luís

setembro 8, 2016

 

“São Luís é a capital do estado do Maranhão, fundada no dia 8 de setembro de 1612. Localiza-se na ilha Upaon-Açu (denominação dada pelos índios tupinambás significando “Ilha Grande”), no Atlântico Sul, entre as baías de São Marcos e São José de Ribamar. Quando em 1621 o Brasil foi dividido em duas unidades administrativas – Estado do Maranhão e Estado do Brasil – São Luís foi a capital da primeira unidade administrativa, sendo que em 1737 com a criação do Estado do Grão-Pará e Maranhão, Belém passa a ser a nova capital.”. Fonte: Prefeitura de São Luís.

Em homenagem à São Luís, a Biblioteca Nacional disponibiliza, para consulta e download, a planta da cidade, datada de 1912, disponível em: http://objdigital.bn.br/objdigital2/acervo_digital/div_cartografia/cart536687/cart536687.html

Para saber mais sobre a capital maranhense e o estado do Maranhão, consulte a BNDigital no endereço: http://bndigital.bn.br/acervodigital/

#FBNnamidia
#bibliotecanacional
#fundacaobibliotecanacional

Mercator: pai da cartografia moderna ganha mostra na Biblioteca Nacional

março 2, 2012

Mostra de mapas e atlas do século 17 na Biblioteca Nacional

A denominação de Atlas a um conjunto de cartas geográficas e a representação do globo terrestre em um plano retangular, como aprendemos nos primeiros anos de escola, se devem ao cartógrafo belga Gerhard Mercator (1512-1594).

Celebrando sua contribuição para o conhecimento humano e os 500 anos de seu nascimento, a Divisão de Cartografia da Biblioteca Nacional abre, no dia 05/03, mostra com obras do século 17, exibindo as inovações de Mercator, que ajudaram nas grandes navegações e aparecem ainda hoje em nossos mapas. Oportunidade única de conferir desenhos originais que fizeram parte de um dos períodos mais fantásticos da História. Entrada franca.

Divisão de Cartografia da Biblioteca Nacional
Avenida Rio Branco, 219, Centro – Rio de Janeiro
Segunda a sexta, 10h às 17h