Posts Tagged ‘Tico-Tico’

FBN | 22 de agosto, Dia Nacional do Folclore

agosto 22, 2016
Saci Pererê Revista O Tico-Tico, 24 de junho de 1931.

Saci Pererê
Revista O Tico-Tico, 24 de junho de 1931.

 

O Dia Nacional do Folclore foi criado em 1965, através do Decreto Federal nº 56.747. Segundo a Carta do Folclore Brasileiro, aprovada pelo I Congresso Brasileiro de Folclore, em 1951, “constituem fato folclórico as maneiras de pensar, sentir e agir de um povo, preservadas pela tradição popular, ou pela imitação”. Nesse sentido, podem ser considerados como elementos folclóricos todos os mitos, lendas, contos populares, brincadeiras, provérbios, adivinhações, festas, encenações, músicas e demais manifestações culturais próprias de cada povo.

 

Curupira Revista O Tico-Tico, 19 de abril de 1916.

Curupira
Revista O Tico-Tico, 19 de abril de 1916.

 

Em homenagem ao Dia Nacional do Folclore, a Fundação Biblioteca Nacional selecionou 3 imagens da revista “O Tico-Tico” que representam algumas das famosas criaturas da mitologia brasileira: o Saci Pererê, o Curupira e a Mãe D’água.

 

Mãe d'água. Revista O Tico-Tico, 11 de março de 1931.

Mãe d’água
Revista O Tico-Tico, 11 de março de 1931.

 

Para ter acesso às publicações, clique em:

http://memoria.bn.br/DocReader/153079/31096 (Saci);

http://memoria.bn.br/DocReader/153079/10734 (Curupira);

http://memoria.bn.br/DocReader/153079/30627 (Mãe d’água).

Outras edições da revista O Tico-Tico, assim como muitos outros periódicos, podem ser facilmente encontrados em nossa Hemeroteca Digital, no endereço: http://bndigital.bn.br/hemeroteca-digital/

‪#‎bibliotecanacional‬

‪#‎fundacaobibliotecanacional‬

‪#‎FBNnamidia‬

 

Desenhar para sonhar: mostra de quadrinhos na Biblioteca Nacional

janeiro 10, 2012

Fãs de histórias em quadrinhos já têm destino certo nessas férias de verão. Até o dia 29 de fevereiro, fica em cartaz no 2º andar da Biblioteca Nacional a mostra “Desenhar para sonhar: histórias em quadrinhos brasileiros”. Organizada pela Coordenadoria de Periódicos, ela conta um pouco da trajetória do gênero  HQ no Brasil. Entre vilões e super-heróis, há diversão garantida para várias gerações de leitores.

Logo no início, exemplares de O Tico-tico deslumbram os visitantes. Lançada em 1905, a primeira revista em quadrinhos brasileira para crianças teve Rui Barbosa, Olavo Bilac e Nelson Rodrigues entre seus leitores. Ela trouxe ao país personagens famosos, como Gato Félix, Popeye e Mickey Mouse. Para Carlos Drummond de Andrade, “Tico-tico era escola disfarçada de brincadeira”.

Edição de 1948 da revista O Tico-Tico

Além de vários números da pioneira, outras preciosidades impressionam. Uma revista “Gibi” – que terminou emprestando seu nome ao tipo de publicação – anuncia na capa o duelo do Tocha humana com o Príncipe Submarino em 1940. Adaptações de clássicos da literatura brasileira também merecem destaque, como a versão em quadrinhos do romance “A Moreninha”, de Joaquim Manuel de Macedo – lançada em 1963.

Versão em quadrinhos para O Guarani, de José de Alencar. Publicação saía pela extinta editora Ebal, na coleção "Maravilhas da Edição Maravilhosa"

Personagens do passado e do presente se misturam na mostra, que homenageia em sua parte final os ídolos das novas gerações. Lá estão “O Menino Maluquinho” de Ziraldo e os traços modernos de um exemplar da Turma da Mônica Jovem, publicado em 2010. Ao que tudo indica, esse é apenas mais um capítulo na incrível saga das histórias em quadrinho no Brasil. Ela continua na banca de jornal ou na biblioteca mais próxima a você! =)

Desenhar para sonhar: histórias em quadrinhos brasileiros
De 10 de janeiro a 29 de fevereiro no 2º andar da Biblioteca Nacional
Avenida Rio Branco, nº 219 – Centro – Rio de Janeiro
Segunda a sexta, das 9h às 20h
Sábado, das 9h às 15h / Domingos, das 12h30 às 16h30, através da Visita Guiada.
Entrada Franca