Posts Tagged ‘exposição’

FBN | Saint Hilaire e as paisagens brasileiras

dezembro 7, 2016

convite-hilaire

 

A exposição comemora o 200º aniversário da chegada de Saint Hilaire ao Brasil, descrevendo o itinerário percorrido pelo botânico e naturalista através de uma fusão de textos e imagens. Na mostra, densas florestas, campos gerais com araucárias, o distrito diamantino, índios, tropeiros e gaúchos saltam dos relatos escritos por Saint-Hilaire e ganham forma através das gravuras e desenhos produzidos por outros artistas, alguns dos quais no âmbito de expedições que seguiram o mesmo trajeto, como a de Carl von Martius e a do príncipe Maximilian zu Wied-Neuwied.

Saint Hilaire e as paisagens brasileiras
Biblioteca Nacional – Salão de Obras Raras
Av. Rio Branco, 219 – 3° andar
De 9 de dezembro a 28 de fevereiro
Segunda a sexta, de 10h às 17h
Classificação livre.

Anúncios

FBN | Exposição – Doutor Ulysses: Senhor Brasil

dezembro 5, 2016

abertura
A Fundação Biblioteca Nacional abre, na próxima terça-feira, 6 de dezembro, a exposição “Doutor Ulysses, Senhor Brasil”, em homenagem aos seus 100 anos de nascimento de um dos políticos mais importantes e carismáticos do Brasil. Para a Biblioteca Nacional, é mais uma oportunidade de mostrar ao público a maravilha de seu acervo. As peças expostas contam a história de um largo período da vida política do Brasil em fotos, charges, artigos de jornais e revistas e vídeos, todos do acervo da Biblioteca Nacional – os vídeos foram cedidos pela TV Câmara. A exposição tem a curadoria da equipe de pesquisadores da Biblioteca Nacional, sob a coordenação de Bruno Brasil, e a produção de Suzane Queiroz.

A exposição mostra a trajetória do saudoso “Senhor Constituição” em cinco módulos e ocupará dois andares. O hall central, no térreo, abrigará, através de imagens debruçadas sobre os alambrados, as multidões que foram às ruas lutar pelas Diretas Já.

O primeiro módulo trata dos primeiros mandatos de Ulysses como deputado, ascendendo à presidência da Câmara em 1956, apenas seis anos após sua primeira eleição, e culmina na sua atuação pós  1964. Logo em seguida, no segundo módulo, aparece o “Senhor Diretas”: a sua luta  pelas eleições diretas para a Presidência da República e a articulação política tanto para a eleição de Tancredo Neves e os esforços empreendidos para a sustentação do governo de José Sarney.

O terceiro módulo, de maior destaque, narra o Ulysses Guimarães constituinte: presidindo a assembleia que resultou na Constituição Cidadã de 1988, o deputado deu mostras de um rigor democrático ímpar na condução dos trabalhos – aliando interesses e anseios os mais díspares. Tudo num momento em que atendia pelo apelido de “tetra presidente”, cultivado quando Ulysses assumia ao mesmo tempo as presidências do PMDB, da Câmara e da Assembleia Nacional Constituinte, além da vice-presidência da República.

O módulo quatro da exposição relembra a dura campanha do deputado para presidente, em 1989, refletindo que, embora Ulysses tivesse passado por um momento difícil, “renasceu” em seguida: no quinto e último módulo, o “Senhor Constituição” converte-se em “Senhor Impeachment”, granjeando apoio de diversos setores em torno da causa parlamentarista, esforço que, visando frear os excessos presidenciais, conseguiu tanto derrubar o governo Collor quanto marcar um plebiscito sobre a forma de governo do Brasil em 1993.
Doutor Ulysses, Senhor Brasil
Abertura: 6 de dezembro
Exposição: 7 de dezembro a 6 de fevereiro
Horário: 2ª a 6ª das 10h às 17h
Sábados das 10.30h às 14.30h
Fundação Biblioteca Nacional
Av. Rio Branco, 219

FBN | Série Documentos Literários – João da Cruz e Souza

novembro 11, 2016

cruz

No âmbito das comemorações do mês da Consciência Negra, a série Documentos Literários, colaboração da Divisão de Manuscritos, apresenta o poeta João da Cruz e Sousa, que nasceu em 24 de novembro de 1861, em Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis (SC).

Cruz e Souza era filho de escravos alforriados e teve sua educação garantida pela família dos antigos senhores. Desde pequeno, o menino mostrou pendor para as letras, especialmente a poesia. Dos 10 aos 15 anos, estudou no Ateneu Provincial Catarinense, e, aos 16, começou a publicar seus primeiros versos. Aos 20, além de ter sido um dos fundadores do jornal literário “Colombo”, entrou para uma companhia teatral, percorrendo vários estados do Brasil.

De volta a Santa Catarina, Cruz e Sousa ficou durante algum tempo à frente do jornal “Tribuna Popular”, por meio do qual combateu a escravidão e o preconceito racial – o mesmo preconceito que, em 1883, o impediria de tomar posse como promotor de Laguna. Dois anos depois, passou a dirigir o semanário “O Moleque” e publicou um livro de poemas em prosa, “Tropos e Fantasias”, em parceria com Virgílio Várzea. Em 1890, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde colaborou em vários periódicos, sempre assumindo uma postura crítica em relação à política e às relações sociais.

Os livros mais conhecidos de Cruz e Sousa, “Missal” e “Broquéis”, foram publicados em 1893. No mesmo ano, o poeta se casou com Gavita Rosa Gonçalves, também descendente de escravos, com quem teve quatro filhos. Todos morreram de tuberculose, causando grande sofrimento ao casal e problemas de saúde a Gavita. Por fim, o próprio Cruz e Sousa foi vitimado pela doença, vindo a morrer no dia 19 de março de 1898, em Curral Novo (MG), onde buscava tratamento. As despesas do funeral foram pagas por amigos, entre eles José do Patrocínio.

Cruz e Sousa deixou vários poemas que seriam publicados em livros póstumos, sem que, contudo, alcançassem a importância de “Missal” e “Broquéis”, obras precursoras do Simbolismo no Brasil. A crítica internacional o considera um dos maiores expoentes do movimento nas letras ocidentais. Seus poemas, que lhe valeram as alcunhas de “Dante Negro” e “Cisne Negro”, caracterizam-se pelo uso de imagens fortes e evocativas, denotando uma grande sensibilidade e inquietações espirituais e metafísicas.

O documento que ilustra esta mostra é um catálogo da Exposição do Centenário de Nascimento de Cruz e Sousa, realizada na Biblioteca Nacional em 1961. A maior parte dos documentos expostos pertencia ao acervo do crítico José Cândido de Andrade Muricy (1895-1984).

Acesse-o em:
http://objdigital.bn.br/ace…/div_iconografia/icon1285853.pdf

#‎FBNnamidia‬
‪#‎bibliotecanacional‬
‪#‎fundacaobibliotecanacional‬

FBN | Parceria – Projeto Além do Arco Íris (Grupo Cultural AfroReggae)

setembro 14, 2016

SAMSUNG CSC

As participantes do projeto “Além do Arco Íris”, do Grupo Cultural AfroReggae, estiveram na Biblioteca Nacional em 13 de setembro para visitar a exposição “Alair Gomes, muito prazer”. Acompanhado pela servidora e curadora da mostra, Luciana Muniz, o grupo pôde conhecer parte do acervo fotográfico e pessoal do artista carioca, reconhecido, até hoje, nacional e internacionalmente.

 

SAMSUNG CSCSAMSUNG CSC

Para Laura Mendes, assistente social do “Além do Arco Íris”, o segmento de travestis, infelizmente, ainda não tem o devido acesso à cultura, embora esta seja uma questão fundamental. Ainda de acordo com Laura, a Biblioteca Nacional realiza um grande trabalho ao abrir suas portas para todos os públicos, principalmente através de ações que projetem representatividade.

 

SAMSUNG CSCSAMSUNG CSC

 

Para conhecer mais sobre a exposição “Alair Gomes, muito prazer”, visite:
https://www.bn.br/acontece/exposicoes/2016/08/alair-gomes-muito-prazer

 

SAMSUNG CSC
#FBNnamidia
#bibliotecanacional
#fundacaobibliotecanacional

FBN | Exposições na Mídia

setembro 13, 2016

sayonara-2

 

As exposições da Biblioteca Nacional foram destaque no noticiário Jornal do Rio, da TV Bandeirantes, nesta segunda-feira, 12 de setembro. Com produção de Sayonara Oliveira, o programa abordou as mostras “Alair Gomes, muito prazer”, “Gabinete de Obras Máximas e Singulares” e o projeto “Um livro por uma ideia”.

 

sayonara-10
Para assistir à matéria na íntegra, acesse:

http://noticias.band.uol.com.br/jornaldorio/video/2016/09/12/15989808/biblioteca-nacional-abre-exposicoes-com-mais-de-nove-mil-itens.html

sayonara-16

 

Saiba mais sobre as exposições e o projeto:

http://www.bn.br/acontece/exposicoes/2016/08/alair-gomes-muito-prazer
http://www.bn.br/acontece/exposicoes/2016/08/gabinete-obras-maximas-singulares
http://www.bn.br/acontece/eventos/2016/08/um-livro-por-uma-ideia

#FBNnamidia
#bibliotecanacional
#fundacaobibliotecanacional

 

FBN | Exposição – Gabinete de Obras Máximas e Singulares

setembro 5, 2016

gab1
Inaugurada em 16 de agosto, a exposição “Gabinete de Obras Máximas e Singulares” convida o público para conhecer parte do acervo raro da Biblioteca Nacional. Sob a curadoria de Claudia Fares, a mostra reúne mais de 500 itens — a maioria é inédita —, dispostos em 18 vitrines verticais, que compõem os corredores do terceiro e quarto andares da instituição, e que também podem ser vistas no Salão de Obras Raras.

 

gab2

 

A exposição é inspirada nos “Gabinetes de Curiosidades”, organizados durante os séculos XVI e XVII na Europa, por eruditos, naturalistas, profissionais liberais e nobres interessados nas ciências e na artes. Com a descoberta do Novo Mundo, tais gabinetes conheceram seu apogeu, recebendo itens exóticos e inusitados para enriquecer seus acervos, nos quais era possível observar animais empalhados, obras da antiguidade clássica, fósseis, plantas conservadas em frascos, autômatos, etc.

 

gab4

Para saber mais sobre a exposição, acesse: https://www.bn.br/acontece/exposicoes/2016/08/gabinete-obras-maximas-singulares

 “Gabinete de Obras Máximas e Singulares”
Biblioteca Nacional – 3°, 4° andares e Salão de Obras Raras
Avenida Rio Branco 219 – Centro – Rio de Janeiro
16 de agosto a 31 de outubro de 2016
Segunda a sexta-feira, das 10h às 17h. Sábado, das 10h30 às 14h

#FBNnamidia
#bibliotecanacional
#fundacaobibliotecanacional

FBN | Exposição virtual “Alair Gomes, muito prazer”

agosto 11, 2016

alair

A Biblioteca Nacional disponibiliza, em seu site da BN Digital, a exposição virtual “Alair Gomes, muito prazer”. Esta mostra, constituída por algumas das peças exibidas na exposição física, pode ser acessada de qualquer lugar do Brasil e do mundo, aproximando, dessa forma, o artista carioca de seu grande público.

FBN | Exposição virtual “Alair Gomes, muito prazer”

A Biblioteca Nacional disponibiliza a versão virtual da exposição “Alair Gomes, muito prazer”. Constituída por algumas das peças exibidas na exposição física a amostra digital pode ser acessada de qualquer lugar do Brasil e do mundo, aproximando, dessa forma, o artista e o acervo da BN, do público.

Para acessar a mostra virtual, clique em: http://bndigital.bn.br/exposicoes/alair-gomes-muito-prazer/

#FBNnamidia
#bibliotecanacional
#fundacaobibliotecanacional

Para acessar a mostra virtual, clique em: http://bndigital.bn.br/exposicoes/alair-gomes-muito-prazer/

‪#‎FBNnamidia‬
‪#‎bibliotecanacional‬
‪#‎fundacaobibliotecanacional‬

EXPOSIÇÃO CRUZAMENTOS

janeiro 15, 2014

Via Brasil é uma iniciativa interdisciplinar do Wexner Center, que atravessa vários anos, enfocando a cultura vibrante do Brasil—apoiado em parte pela generosa doação da Fundação Andrew W. Mellon.  Ao longo desta série, o  projeta convida a explorar a complexidade e dinâmica da nação brasileira.

 

  • Cruzamentos: Arte contemporânea no Brasil, uma exposição substancial de quatro galerias (acompanhada de um catálogo) em exibição no Wexner Center no início de 2014;
  • Cruzamentos: Documentário brasileiro contemporâneo, uma apresentação de mais de 30 documentários brasileiros contemporâneos raramente vistos na América do Norte, expostos no início de 2014;
  • Uma vasta gama de atuações representativas da diversidade de artes cênicas contemporâneas brasileiras por renomados músicos e companhias de dança do Brasil;
  • Programas de intercambio criativo para cineastas brasileiros e produtores de filme e de vídeo, bem como apresentações de vídeos brasileiros em The Box (o espaço do Wexner Center dedicado a exposições de vídeo)
  • Uma riqueza de programações educativas, incluindo um simpósio, palestras de galerias, e eventos destinados a atrair alunos, famílias e adolescentes;
  • A primeira tradução em língua inglesa de ensaios do Paulo Emílio Sales Gomes—influente crítico de cinema, professor e historiador—que será publicada no final de 2014.
  • Um seminário de pós-graduação relacionado diretamente com o conteúdo da exposição dirigido pela pós-doutoranda Denise Carvalho.

 

Image

Mostras de Janeiro da Fundação Biblioteca Nacional

janeiro 15, 2014

 

Lembranças Em Verso. Para comemorar os cem anos do nascimento de Vinicius de Moraes, através de versos de diversos autores e do próprio Vinicius de Moraes. Biblioteca Euclides da Cunha. Rua da Imprensa, 16. 4º andar. Seg. a sex das 9h30 às 17h30.

A Virtude: A Paz. Continuidade da mostra sobre Virtudes. Agora trazendo ao público o tema da Paz, oferecendo material de conteúdo literário e científico retratando desde a antiguidade. Salão de Obras Raras. Seg. a sex 10 às 17.

Os 500 anos de O Príncipe. Renato Lessa é autor de cinco páginas que norteiam ao visitante, questões já trabalhadas por Maquiavel em sua Obra Magna, tais como, complexidade política, cosmologia, fortuna e virtude. 3º Andar da Biblioteca Nacional. Seg. a sex 10 às 18| Sab. às 15

Mauá Trilhos e Progressos. Mostra revela documentos, entre eles, cartas trocadas entre o “empresário do Império” principalmente de cunho econômico. Inclui também um retrato pintado de autoria desconhecida. 3º Andar da Biblioteca Nacional. Seg. a sex 10 às 18| Sab. às 15.

Um Século de Moda nos Periódicos da Biblioteca Nacional. Evolução da imprensa de moda no que revelam as mudanças na silhueta feminina através do tempo, e a influência da imprensa especializada. 2º Andar da Biblioteca Nacional. Seg. a sex 10 às 18| Sab.  às 15

Fernando Tavares Sabino – 90 anos de nascimento. A Fundação Biblioteca Nacional realiza uma pequena exposição de capas que captura o fino senso de humor e pitoresco do autor de Encontro Marcado. 2º Andar da Biblioteca Nacional. Seg. a sex 10 às 18| Sab.  às 15

 

MOSTRAS DE JANEIRO FBN

janeiro 6, 2014

Imagem