Brasiliana Fotográfica | O inventor Alberto Santos Dumont pelo fotógrafo Jorge Kfuri

julho 23, 2017
47276.jpg

Jorge Kfuri. Visita do Presidente Wenceslau Braz e Santos Dumont à Escola de Aviação Naval na Ilha das Enxadas, 1918. Rio de Janeiro, RJ / Acervo DPHDM

O fotógrafo Jorge Kfuri (1893 – 1965), autor das primeiras fotografias aéreas do Rio de Janeiro, registrou a visita que o então presidente do Brasil, Wenceslau Braz (1868 – 1966), e Alberto Santos Dumont (1873 – 1832), conhecido como o “Pai da Aviação”, fizeram, em novembro de 1918, à Escola de Aviação Naval, na Ilha das Enxadas, localizada na Baía de Guanabara. O inventor e o presidente conversaram sobre os progressos da aviação e foram recebidos pelo então ministro da Marinha, o almirante Alexandrino de Alencar (1848 – 1926), que participou da Guerra do Paraguai e da Revolta da Armada, e que também foi ministro da Marinha dos presidentes Affonso Pena (1847 – 1909), Nilo Peçanha (1867 – 1924), Hermes da Fonseca (1855 – 1923),  e Arthur Bernardes (1875 – 1955). O almirante mostrou a seus convidados o serviço de aviação naval por ele organizado: uma flotilha de cerca de 30 aparelhos modernos, oficina para reparos e construção de aviões, quatro hangares e a Escola de Aviação. Na época, o capitão de fragata Henrique Aristides Guilhem (1875 – 1949), futuro ministro da Marinha entre 1935 e 1945, comandava a flotilha dos aviões de guerra.

037IMG_0376.jpg

Anônimo. Alberto Santos Dumont, c. 1930. Rio de Janeiro, RJ / Acervo IMS

Para ver mais imagens e ler mais, acesse: http://brasilianafotografica.bn.br/?p=8540

#FBN #BN #FundaçãoBibliotecaNacional

FBN | 23 de julho de 1932, morre Santos Dumont

julho 23, 2017

morte-santos-dumont

Em sua Edição Extraordinária do dia 25 de julho de 1932, o jornal “A Noite” publicou em sua primeira página:

“Falleceu, em Santos, o glorioso inventor patricio Alberto Santos Dumont

O governo paulista tributou ao “Pae da Aviação” honras de chefe de Estado

Um radio captado nesta capital, pela madrugada de hontem, e endereçado As Sras. Adalgisa Uchôa Dumont e Amalia Ferreira Dumont, residentes na rua das Laranjeiras, e cunhadas de Santos Dumont, dava-nos a triste noticia do fallecimento do glorioso inventor brasileiro, occorrido em Santos. Embora, até então, não houvesse chegado qualquer outra informação, confirmando a morte de Santos Dumont, tudo levava a crer, infelizmente, que o facto era verdadeiro, por isso que, naquella mensagem irradiada de Santos, os parentes do sabio brasileiro eram selentificados de que o governo de São Paulo tinha deliberado fazer o seu enterro e conceder-lhe honras de chefe de Estado…”

Para ler a reportagem na íntegra, acesse: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=348970_03&PagFis=9161

#FBN #BN #FundaçãoBibliotecaNacional

FBN | 22 de julho de 1935: criação do programa “A Hora do Brasil”

julho 22, 2017

Há 82 anos, o presidente Getúlio Vargas criou o programa A Hora do Brasil, transmitido diariamente por todas as estações de rádio. O programa tinha o objetivo de divulgar os principais acontecimentos do país com uma abordagem informativa, cultural e cívica, além de informar sobre os atos do presidente da República. Mais tarde, seu nome mudou para A Voz do Brasil, sendo transmitido até os dias atuais.

No dia anterior a sua estreia, o jornal Gazeta de Noticias trouxe a seguinte matéria:

“Será transmittida, a partir de amanhã, para todo o paiz e para o extrangeiro. a “Hora do Brasil”

Evocando o finado “Programma Nacional” – Uma Conversa do sr. Lourival Fontes com os jornalistas de radio – O que será o novo serviço official de radio-diffusão”

“(…) O serviço de radio-diffusão à cargo do P. P. D. C., suspenso ha varios dias para uma reforma geral, voltará a ser irradiado a partir de amanhã, sobre a denominação “A Hora do Brasil”. No início da transmissão que será de 18,45 ás 19,45 horas, falará ao microfone, em nome dos jornalistas o nosso confrade Gilberto de Andrade, diretor da “A Voz do Radio” (…)”

a hora do brasil 2

Leia a matéria completa em: http://memoria.bn.br/DocReader/103730_06/5586

Além disso, o jornal A Noite: Supplemento: Secção de Rotogravura publicou uma foto do dia da inauguração do programa em seu periódico. Você pode acessá-lo através do link: http://memoria.bn.br/DocReader/120588/7440

a hora do brasil 1

Pesquise mais sobre a estreia do programa A Hora do Brasil nos periódicos disponíveis em nossa Hemeroteca Digital: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/

 

FBN | Documentos Literários: Licença para imprimir livros da doutrina cristã em guarani

julho 21, 2017

A Série Documentos Literários, contribuição da Divisão de Manuscritos, apresenta um documento da Coleção de Angelis, uma das mais relevantes da Biblioteca Nacional no que se refere à história da América do Sul.

pedro de angelis 2

A coleção foi reunida pelo bibliófilo italiano Pedro De Angelis (Nápoles, 1784 – Buenos Aires, 1849), que lutou nas guerras napoleônicas, foi professor e diplomata antes de viajar para a Argentina a convite de Bernardino Rivadavia, ministro plenipotenciário das Províncias Unidas do Rio da Prata, que desejava fazer de Buenos Aires uma cidade culta e cosmopolita. Ao chegar à Argentina, em 1827, De Angelis se naturalizou, assumiu a Imprensa do Estado ao lado de José Joaquín Mora e fundou o jornal “Crônica Política e Literária de Buenos Aires”. Este foi fechado com a queda de Rivadavia, porém De Angelis logo se viu à frente de outro periódico, “El Lucero”, onde publicava informações práticas, críticas literárias e crônicas da campanha de Juan Manuel Rosas. Ao mesmo tempo, organizava um arquivo de documentos ligados à história, à geografia e aos povos nativos da Argentina, que acabou por se tornar um dos mais importantes repositórios de informação da época. Dirigiu o Arquivo Geral da Nação, escreveu biografias e acabou sendo contratado pelo próprio Rosas para difundir alguns de seus projetos.

Em 1836, De Angelis iniciou sua “Colleción de Obras y Documentos Relativos a la Historia Antigua y Moderna de las Provincias del Rio de la Plata”, que acabou por ter sete volumes e se constitui numa obra-chave para o estudo da Argentina em seu período colonial. A queda de Rosas o levou a deixar o país e vir para o Brasil, onde foi recebido com grande reconhecimento e se tornou membro do IHGB. Em 1855 retornou à Argentina, onde ainda publicou obras importantes sobre a história, a geografia e a economia do país. Pelo conjunto e pioneirismo de sua obra, Pedro De Angelis é considerado o patriarca da historiografia argentina.

A coleção da Biblioteca Nacional, com cerca de 1.200 documentos que abrangem o período de 1537 a 1849, foi adquirida do próprio titular em 1853. O documento reproduzido é um traslado da licença concedida em 1703 pelo vice-rei do Peru, Melchor Portocarrero Lasso de la Vega, para que se imprimissem livros da doutrina cristã em guarani, a serem utilizados nas missões da província de Tucumán, atendendo ao pedido do padre Hernando de Aguilar, procurador geral da Companhia de Jesus. O documento pode ser consultado na BN Digital através do link:

http://objdigital.bn.br/…/div_man…/mss1390555/mss1390555.pdf

 

FBN | 20 de julho de 1934: Getúlio Vargas toma posse da presidência

julho 20, 2017

Desde 1930, após o golpe que depôs o ex-presidente Washington Luís, Getúlio Vargas já governava o Brasil. Mas só em 20 de julho de 1934 ele tomou posse do cargo de presidente da república. Um dia depois da tomada de posse, o jornal Diario Carioca publicou a seguinte matéria como destaque:

“Tomou Posse, Hontem, Do Cargo De Presidente da Republica o Sr. Getulio Vargas”

“(…) O compromisso constitucional

Cessado o ruído da grande manifestação, o sr. Antonio Carlos diz:
– Em cumprimento da Constituição da Republica dos Estados Unidos do Brasil, o senhor presidente eleito vae prestar o compromisso constitucional. Convidos os presentes a ficarem de pé.
O aspecto do recinto é majestoso. Todos estão de pé. E, no meio silencio que se restabelece, ouve a voz do Sr. Getulio Vargas, pausada e firme:
– “Prometto manter e cumprir com lealdade a Constituição Federal, promover o bem geral do Brasil, observar as suas leis, sustentar-lhe a união, a integridade e a independência. (…)”

Leia a matéria completa em: http://memoria.bn.br/docreader/093092_02/15693

Pesquise mais sobre a posse de Getúlio Vargas nos periódicos disponíveis em nossa Hemeroteca Digital: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/

FBN | 2ª Guerra Mundial: Há 74 anos, Roma é bombardeada pela primeira vez

julho 19, 2017

No dia 19 de julho de 1943, durante a Segunda Guerra Mundial, Roma foi bombardeada pela primeira vez pelos aliados. No dia seguinte ao atentado, o jornal Correio da Manhã publicou a seguinte matéria como destaque em sua capa:

“Roma sofreu seu primeiro e arrasador bombardeio

(…) O objetivo foi a Roma industrial, com os seus grandes centros militares e de transporte. Mussolini havia de caso pensado ocultado o mais possível esses objetivos da cidade, mas o Comado Aliado chegou hoje á conclusão de que estava na hora de ser desferido, pelas tripulações de elite dos bombardeios das Nações Unidas, o golpe esmagador contra o ultimo grande centro ferroviario e de comunicação do Estado italiano. (…)”

bombardeio em roma

Leia a matéria completa em: http://memoria.bn.br/DocReader/089842_05/16787

Pesquise mais sobre a história do bombardeio em Roma nas páginas dos periódicos da Hemeroteca Digital: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/

FBN | 18 de julho, nasce Nelson Mandela

julho 18, 2017

Nelson Rolihlahla Mandela, advogado, símbolo da luta contra o Apartheid e da recuperação da África do Sul, nasceu em Mvezo (Cabo Oriental) em 18 de julho de 1918. Após sua longa militância foi eleito o primeiro presidente negro do país.
A liberdade de Mandela ocorreu após 27 anos de prisão, sendo um dos acontecimentos mais importantes para a democracia da África do Sul. Três anos mais tarde, Mandela recebeu o Prêmio Nobel da Paz e, em 2010, teve o dia de seu aniversário estabelecido como Dia Internacional Nelson Mandela pela Organização das Nações Unidas (ONU). Dentre suas principais ações se destacam a criação da Comissão Verdade e Reconciliação e a reescrita da Constituição.

Em sua homenagem a Biblioteca Nacional disponibiliza a edição de 12 de fevereiro de 1990 do Diário do Pará, que fala sobre a sua luta e libertação: http://memoria.bn.br/docreader/DocReader.aspx?bib=644781&pagfis=52319

FBN I História – 18 de Julho de 1841: Coroação do Imperador Dom Pedro II

julho 18, 2017
D. Pedro II - Coleção Thereza Christina Maria

D. Pedro II – Coleção Thereza Christina Maria

Aos 15 anos de idade, depois de uma manobra que oficializou a redução da sua maioridade, D. Pedro II foi coroado, em cerimônia solene, Imperador do Brasil.

O jornal Diário do Rio de Janeiro, na edição 00157, de 19 de julho de 1841 publicava a seguinte nota:

18 de julho – A SAGRAÇÃO E COROAÇÃO DO SENHOR D. PEDRO II

Teve logar a cerimônia augusta, a solemne invocação da divindade para que se digne derramar os thesouros de sua infinita bondade sobre o reinado do Sr. D. Pedro 2º, aclamado em 7 de abril de 1831 imperador do Brasil o seu defensor perpétuo; a consagração religiosa é um acto importante para o christão; a política fria e severa não a desdenha, pelo contrário a applaude e preside a ella…

 

Leia a matéria na integra: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=094170_01&PagFis=24242

Foto: Paris [França : [s.n.], 1890]. Busto do Imperador idoso, voltado para a esquerda.

 http://objdigital.bn.br/objdigital2/acervo_digital/div_iconografia/icon852419/icon852419.jpg

 

‪#‎FBNnamidia‬
‪#‎bibliotecanacional‬
‪#‎fundacaobibliotecanacional‬

FBN | Perfil: Eduardo da Cruz e o discurso feminista nos periódicos da colônia portuguesa no início do século XX

julho 17, 2017

Em tempos como o nosso, no qual as correntes migratórias e a luta feminista por direitos e visibilidade são assuntos cotidianos e estão em debate na mídia, o pesquisador Eduardo da Cruz, bolsista do Programa de Apoio à Pesquisa da Biblioteca Nacional 2016, propõe-se a dar visibilidade ao discurso feminista das mulheres de imigrantes portugueses no início do século XX, publicado em periódicos que eram mantidos pela colônia portuguesa no Brasil.

 

A Biblioteca Nacional, repositório da memória brasileira, guarda um importante acervo de periódicos, do qual fazem parte inúmeros jornais e revistas criados por imigrantes portugueses desde o século XIX, muitos dos quais ainda não foram analisados e devidamente divulgados.

Para saber mais sobre sua pesquisa, acesse: https://www.bn.gov.br/…/eduardo-cruz-discurso-feminista-nos…

Diálogos: 20 de julho

julho 17, 2017

 

O Programa Diálogos na Biblioteca Nacional desta quinta-feira, 20 de julho, recebe Ana Maria Gonçalves e Milton Guran com o tema “Saga da negritude na literatura brasileira”. O encontro conta com mediação da jornalista Helena Celestino.

Dia: 20 de julho
Horário: 18h30
Local: Auditório Machado de Assis, R. México, s/nº – Centro – RJ (Entrada pelos jardins da Fundação Biblioteca Nacional)